Mais Destinos em Santa Catarina Mais Destinos em Santa Catarina

+ Destinos






[favoritos]

Turismo em Santa Catarina!

Santa Catarina

Pico da Pedra em Santa Catarina

No verão: Praias, lagoas Mata Atlântica; no inverno, frio. Santa Catarina, um destino para todos os gostos.  A orla de cerca de 500 quilômetros atrai visitantes, em busca do sol e de areias brancas e macias aos pés. O mar, ora verde esmeralda, ora azul anil, tem águas claras, transparentes aos milhares de visitantes que chegam de todas as partes do mundo.  As serras, reservam aos casais apaixonados, pousadas e hotéis aconchegantes e bem estruturados para vivenciar um belo romance.

Para quem aprecia a história, o Vale Europeu e o Caminho dos Príncipes é um verdadeiro retorno aos primeiros imigrantes do Estado.  Já, para aqueles que gostam de viver perigosamente, há muitos rios e montanhas que oferecem esportes radicais, com  opções que levam ao delírio os aventureiros de plantão.

As crianças também têm muito com o que se divertir em Santa Catarina. Beto Carreiro World é o parque  que diverte toda a família. Trata-se do maior parque temático da América Latina, conhecido no mundo inteiro por pessoas que retornam uma, duas , três e, até mais vezes, tamanha sua infra-estrutura, comparável aos maiores parques do mundo.

Visite Santa Catarina, colonizada por alemães, deixaram seu DNA  cravado na cultura Catarina trazendo para esse pedacinho do Brasil com a “cara” da Europa, padrões de comportamento de seu povo simpático, com costumes, educação e hospitalidade peculiares ao primeiro mundo.

As festas típicas, são um capítulo à parte. A Oktoberfest traz turistas de todos os cantos do Brasil e do mundo, em dias de celebração à Alemanha, regada à muita cerveja e chucrute legítimos dos povos anglo saxônicos. Os hotéis, restaurantes e o turismo, de uma maneira geral, agradecem a vista e o retorno nos anos seguintes. Santa Catarina – seu próximo destino já está decidido! É aqui o point de quem quer se divertir e levar as melhores lembranças de férias divertidas, com conforto e as melhores paisagens!

#MaisDestinos; @MaisDestinos; #Turismo; #MaisDestinosSC; #Viajar; #Viagem;

Andrei

Serra do Rio do Rastro

Colunista

+ do colunista Salomão, ANeto

Eduardo MarquettiOs casarões portugueses do Litoral, a arquitetura em estilo enxaimel no Vale do Itajaí e no Norte do Estado e as tradições italianas ainda fortes no Oeste são exemplos concretos da diversidade cultural catarinense, hoje enriquecida com a soma de novos sotaques e costumes daqueles que escolheram Santa Catarina para viver. Para proteger essa riqueza, o circuito cultural catarinense é composto por dezenas de conjuntos arquitetônicos tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) ou pelo Estado e pelos municípios. Além do patrimônio arquitetônico e artístico, há também os acervos nos museus.
Há conjuntos históricos que representam outras etnias europeias que também participaram, em menor escala, da colonização do Estado. A cidade de Treze Tílias, no Meio-Oeste, foi fundada por imigrantes austríacos vindos da região do Tirol e parece uma vila típica saída dos Alpes. Outros dois grupos étnicos com contribuições arquitetônicas que merecem destaque são os poloneses e os ucranianos.
Outra frente de divulgação da cultura catarinense são eventos consagrados no Estado, como o Circuito das Festas de Outubro, liderado pela Oktoberfest, de Blumenau; o Festival de Dança de Joinville; a Festa do Pinhão, em Lages; e a festa do Divino Espírito Santo, uma tradição secular transmitida pelos açorianos e hoje celebrada principalmente na Ilha de Santa Catarina e nos municípios litorâneos.

Gastronomia

Rica em sabores e influências, a gastronomia catarinense é um retrato da colonização do estado. A culinária do litoral, onde se fixaram os portugueses, é baseada em frutos do mar. Indo para o interior, nos núcleos de colonização germânica presentes principalmente no Caminho dos Príncipes e no Vale Europeu, o pescado dá lugar à carne suína fortemente temperada e regada às típicas cervejas alemãs (veja Rota da Cerveja). Em maior número, os imigrantes italianos se espalharam por todas as regiões com suas cantinas e vinícolas artesanais. Há ainda pequenos centros gastronômicos poloneses, ucranianos, austríacos, húngaros e holandeses que, somados à culinária gaúcha e tropeira, fazem de Santa Catarina um estado de dar água na boca. No enoturismo, os destaques são as vinícolas da Serra Catarinense, que produzem vinhos e espumantes premiados nacional e internacionalmente, e o Roteiro Vale da Uva e do Vinho, no Vale do Contestado. E para quem gosta de uma boa cachaça, o que não faltam são alambiques de qualidade, principalmente na Grande Florianópolis, na Costa Verde e Mar e no Caminho dos Príncipes.

Turismo Religioso

Em Santa Catarina, a fé também movimenta o turismo. Nova Trento, cidade de Madre Paulina (a primeira santa brasileira), é o segundo destino religioso mais visitado do país. Em Brusque, no Vale dos Milagres, o Santuário de Azambuja reúne o maior acervo brasileiro de arte sacra popular. No estado inteiro, há 22 santuários e uma centena de destinos de peregrinação religiosa. As atrações vão de igrejas centenárias a grutas católicas, mesquitas e templos de diversas religiões, além de romarias, peregrinações, procissões marítimas e celebrações de fé que animam os fiéis catarinenses e de todas as partes do Brasil e do mundo.

Enoturismo e Cervejas Artesanais

Enoturismo: Conhecer vinícolas e degustar bons vinhos e espumantes são programas que estão ganhando espaço com o crescimento do enoturismo em Santa Catarina. Os visitantes podem acompanhar o cultivo nos vinhedos, a produção do vinho, participar de seções de degustação e, dependendo da época, assistir à colheita da uva durante visitas programadas e guiadas. Duas regiões catarinenses se destacam nesse segmento: o Vale do Contestado, com o Roteiro Vale da Uva e do Vinho (Videira, Tangará e Pinheiro Preto), e a Serra Catarinense, onde estão localizadas algumas das mais respeitadas vinícolas do Brasil (São Joaquim, Lages e Urubici). Santa Catarina se destaca na produção de vinhos finos de altitude obtendo excelente classificação entre os melhores da EXPOVINIS, a maior feira de vinhos da América Latina. Podemos encontrar vinícolas também na Região Encantos do Sul e Vale Europeu.

Rota das Cervejas: Enquanto os imigrantes italianos estão ligados à produção de vinho, os alemães são conhecidos por sua tradição cervejeira. Nos municípios de colonização predominantemente germânica há diversas fábricas e cervejarias artesanais. Blumenau destaca-se na atividade desde sua fundação e hoje possui cervejarias que seguem a Reinheitsgebot (Lei Alemã da Pureza, de 1516), que limita os ingredientes da cerveja a água, lúpulo, malte (de cevada ou trigo) e fermento (levedura), e proíbe o uso de quaisquer conservantes ou cereais não maltados na fabricação da bebida. Visite as principais fábricas e cervejarias artesanais de Santa Catarina, conheça de perto o processo de produção da bebida e experimente diversas versões de cervejas e chopes.

Cultura

A população de Santa Catarina foi formada por povos de diversas etnias. Indígenas dos grupos guarani, xokleng e kaingang já habitavam as terras catarinenses antes da chegada dos navegadores portugueses ao Brasil. Os açorianos começaram a chegar em grande número ao litoral catarinense no século XVIII a fim de ocupar as terras portuguesas e protegê-las de possíveis invasões.

Após a independência do país, imigrantes alemães espalharam-se pela região norte do estado e pelo Vale do Itajaí. Mais tarde, imigrantes italianos também chegaram a Santa Catarina, instalando-se principalmente na região sul. Essas foram as principais correntes migratórias que participaram da formação da identidade cultural catarinense. Em menor número, africanos, poloneses, ucranianos, japoneses, austríacos, holandeses, húngaros e outros também contribuíram para o caráter multicultural dessa população. Destaca-se ainda a influência dos tropeiros gaúchos e paulistas que atravessavam as terras catarinenses no século XIX transportando gado entre RS e SP.

O perfil jovem é outra característica marcante da diversificada população do estado. Hoje, aproximadamente 60% dos habitantes têm menos de 40 anos, sendo que 30% ainda não chegaram aos 20. Por outro lado, apenas 10% dos catarinenses têm 60 anos ou mais. Trata-se de um povo jovem e trabalhador, uma gente alegre e hospitaleira acostumada a receber visitantes de todo o país e do mundo.

Rica em sabores e influências, a gastronomia catarinense é um retrato da colonização do estado. A culinária do litoral, onde se fixaram os portugueses, é baseada em frutos do mar. Indo para o interior, nos núcleos de colonização germânica presentes principalmente no Caminho dos Príncipes e no Vale Europeu, o pescado dá lugar à carne suína fortemente temperada e regada às típicas cervejas alemãs (veja Rota da Cerveja). Em maior número, os imigrantes italianos se espalharam por todas as regiões com suas cantinas e vinícolas artesanais. Há ainda pequenos centros gastronômicos poloneses, ucranianos, austríacos, húngaros e holandeses que, somados à culinária gaúcha e tropeira, fazem de Santa Catarina um estado de dar água na boca. No enoturismo, os destaques são as vinícolas da Serra Catarinense, que produzem vinhos e espumantes premiados nacional e internacionalmente, e o Roteiro Vale da Uva e do Vinho, no Vale do Contestado. E para quem gosta de uma boa cachaça, o que não faltam são alambiques de qualidade, principalmente na Grande Florianópolis, na Costa Verde e Mar e no Caminho dos Príncipes.

Em Santa Catarina, a fé também movimenta o turismo. Nova Trento, cidade de Madre Paulina (a primeira santa brasileira), é o segundo destino religioso mais visitado do país. Em Brusque, no Vale dos Milagres, o Santuário de Azambuja reúne o maior acervo brasileiro de arte sacra popular. No estado inteiro, há 22 santuários e uma centena de destinos de peregrinação religiosa. As atrações vão de igrejas centenárias a grutas católicas, mesquitas e templos de diversas religiões, além de romarias, peregrinações, procissões marítimas e celebrações de fé que animam os fiéis catarinenses e de todas as partes do Brasil e do mundo.

Enoturismo: Conhecer vinícolas e degustar bons vinhos e espumantes são programas que estão ganhando espaço com o crescimento do enoturismo em Santa Catarina. Os visitantes podem acompanhar o cultivo nos vinhedos, a produção do vinho, participar de seções de degustação e, dependendo da época, assistir à colheita da uva durante visitas programadas e guiadas. Duas regiões catarinenses se destacam nesse segmento: o Vale do Contestado, com o Roteiro Vale da Uva e do Vinho (Videira, Tangará e Pinheiro Preto), e a Serra Catarinense, onde estão localizadas algumas das mais respeitadas vinícolas do Brasil (São Joaquim, Lages e Urubici). Santa Catarina se destaca na produção de vinhos finos de altitude obtendo excelente classificação entre os melhores da EXPOVINIS, a maior feira de vinhos da América Latina. Podemos encontrar vinícolas também na Região Encantos do Sul e Vale Europeu.

Rota das Cervejas: Enquanto os imigrantes italianos estão ligados à produção de vinho, os alemães são conhecidos por sua tradição cervejeira. Nos municípios de colonização predominantemente germânica há diversas fábricas e cervejarias artesanais. Blumenau destaca-se na atividade desde sua fundação e hoje possui cervejarias que seguem a Reinheitsgebot (Lei Alemã da Pureza, de 1516), que limita os ingredientes da cerveja a água, lúpulo, malte (de cevada ou trigo) e fermento (levedura), e proíbe o uso de quaisquer conservantes ou cereais não maltados na fabricação da bebida. Visite as principais fábricas e cervejarias artesanais de Santa Catarina, conheça de perto o processo de produção da bebida e experimente diversas versões de cervejas e chopes.

A população de Santa Catarina foi formada por povos de diversas etnias. Indígenas dos grupos guarani, xokleng e kaingang já habitavam as terras catarinenses antes da chegada dos navegadores portugueses ao Brasil. Os açorianos começaram a chegar em grande número ao litoral catarinense no século XVIII a fim de ocupar as terras portuguesas e protegê-las de possíveis invasões.

Após a independência do país, imigrantes alemães espalharam-se pela região norte do estado e pelo Vale do Itajaí. Mais tarde, imigrantes italianos também chegaram a Santa Catarina, instalando-se principalmente na região sul. Essas foram as principais correntes migratórias que participaram da formação da identidade cultural catarinense. Em menor número, africanos, poloneses, ucranianos, japoneses, austríacos, holandeses, húngaros e outros também contribuíram para o caráter multicultural dessa população. Destaca-se ainda a influência dos tropeiros gaúchos e paulistas que atravessavam as terras catarinenses no século XIX transportando gado entre RS e SP.

O perfil jovem é outra característica marcante da diversificada população do estado. Hoje, aproximadamente 60% dos habitantes têm menos de 40 anos, sendo que 30% ainda não chegaram aos 20. Por outro lado, apenas 10% dos catarinenses têm 60 anos ou mais. Trata-se de um povo jovem e trabalhador, uma gente alegre e hospitaleira acostumada a receber visitantes de todo o país e do mundo.

Colunista

+ do colunista Salomão, ANeto

Florianópolis

Florianópolis foi colonizada por portugueses que deixaram suas marcas culturais e religiosas na cidade. A capital de Santa Catarina é considerada uma das melhores cidades para se viver no Brasil, com uma alta qualidade de vida. A ilha de apenas 436 quilômetros quadrados abriga praias paradisíacas e badaladas, dunas e trilhas, boates concorridas e restaurantes estrelados. As praias são o grande charme da cidade. Ao leste, as praias de Mole e Joaquina atraem os surfistas; ao norte, Jurerê Internacional é o ponto de encontro dos jovens baladeiros; ao sul, as praias rústicas, como a de Lagoinha do Leste contrastam com a vida dinâmica da capital. Para um prato regado à frutos do mar, visite os restaurantes que estão espalhados pela Lagoa da Conceição, no centro da ilha.

Blumenau

A cidade foi colonizada por alemães, por isso a cultura alemã exala por cada canto da cidade. Desde as construções em estilo enxaimel até a paixão pela cerveja. Os moradores da cidade são facilmente identificados: louros dos olhos azuis. Para conhecer Blumenau e não perder nenhum ponto turístico, caminhe da Estrada de Ferro até o Museu da Família Colonial. É na cidade que acontece o segundo maior festival da cerveja do mundo. Mais de 600 mil pessoas se esbaldam nos pratos típicos alemães, nas danças e claro, na cerveja. Por falar em cerveja, não deixe de degustar a cerveja artesanal que é produzida em Blumenau: a Eisenbahn.

São Joaquim

A cidade de São Joaquim é um dos principais pontos turísticos da Serra Catarinense. A cidade chega a registrar -10°Celsius no inverno, e acaba virando manchete nos jornais do Brasil inteiro. E com a baixa temperatura vem a neve, fenômeno que acontece em poucos lugares no país. Cachecóis e luvas são obrigatórios para quem quiser aproveitar o dia na neve. Para se aquecer, aposte nos vinhos produzidos na região. A Villa Francioni, uma das vinícolas mais bonitas do país, oferece uma visita guiada que dura uma hora e meia. Na cidade, é organizado o Festival da Neve todos os anos, no mês de julho. A principal atração é a gastronomia, mas o festival agrega atividades como competição de esculturas de gelo, shows musicais e apresentações de danças típicas.

Florianópolis foi colonizada por portugueses que deixaram suas marcas culturais e religiosas na cidade. A capital de Santa Catarina é considerada uma das melhores cidades para se viver no Brasil, com uma alta qualidade de vida. A ilha de apenas 436 quilômetros quadrados abriga praias paradisíacas e badaladas, dunas e trilhas, boates concorridas e restaurantes estrelados. As praias são o grande charme da cidade. Ao leste, as praias de Mole e Joaquina atraem os surfistas; ao norte, Jurerê Internacional é o ponto de encontro dos jovens baladeiros; ao sul, as praias rústicas, como a de Lagoinha do Leste contrastam com a vida dinâmica da capital. Para um prato regado à frutos do mar, visite os restaurantes que estão espalhados pela Lagoa da Conceição, no centro da ilha.

A cidade foi colonizada por alemães, por isso a cultura alemã exala por cada canto da cidade. Desde as construções em estilo enxaimel até a paixão pela cerveja. Os moradores da cidade são facilmente identificados: louros dos olhos azuis. Para conhecer Blumenau e não perder nenhum ponto turístico, caminhe da Estrada de Ferro até o Museu da Família Colonial. É na cidade que acontece o segundo maior festival da cerveja do mundo. Mais de 600 mil pessoas se esbaldam nos pratos típicos alemães, nas danças e claro, na cerveja. Por falar em cerveja, não deixe de degustar a cerveja artesanal que é produzida em Blumenau: a Eisenbahn.

A cidade de São Joaquim é um dos principais pontos turísticos da Serra Catarinense. A cidade chega a registrar -10°Celsius no inverno, e acaba virando manchete nos jornais do Brasil inteiro. E com a baixa temperatura vem a neve, fenômeno que acontece em poucos lugares no país. Cachecóis e luvas são obrigatórios para quem quiser aproveitar o dia na neve. Para se aquecer, aposte nos vinhos produzidos na região. A Villa Francioni, uma das vinícolas mais bonitas do país, oferece uma visita guiada que dura uma hora e meia. Na cidade, é organizado o Festival da Neve todos os anos, no mês de julho. A principal atração é a gastronomia, mas o festival agrega atividades como competição de esculturas de gelo, shows musicais e apresentações de danças típicas.

Colunista

+ do colunista Salomão, ANeto

Florianópolis

Florianópolis
Sul > Santa Catarina

Não é à toa que a capital catarinense é conhecida como Ilha da Magia. A beleza natural de Florianópolis encanta à primeira vista
Balneário Camboriú

Balneário Camboriú
Sul > Santa Catarina

Praias paradisíacas e atrativos turísticos modernos, possui comércio forte e atuante todos os dias do ano, um dos principais destinos turísticos do Brasil
Blumenau

Blumenau
Sul > Santa Catarina

Construções em estilo colonial, ruas bem cuidadas e jardins floridos podem ser admirados em passeios pela região central ou nas encantadoras comunidades
Jacinto Machado

Jacinto Machado
Sul > Santa Catarina

O ecoturismo catarinense tem em Jacinto Machado um de seus melhores destinos, onde seu Cânion Fortaleza é de beleza rara e magnânima

Central de Informações Turísticas da Santur
Rua Felipe Schmidt, 249 – 8º andar
Florianópolis/SC – Brasil
Fone: (48) 3212-6328 / 0800-6446300
Posto de Informações Turisticas da Santur – Aeroporto Internacional Hercílio Luz
Av. Deputado Diomício Freitas, 3393
Florianópolis/SC – Brasil
Fone: (48) 3337-5040
Polícia Rodoviária Fone: 198
Polícia Militar Fone: 190
Pronto Socorro Fone: 192
Corpo de Bombeiros Fone: 193
Polícia Civil Fone: 197
Polícia Ambiental Fone: (48) 3269-7111
SOS Criança Fone: 0800 480103
PROCON Fone: 151
Delegacia de Orientação a Mulher Fone: 180
Departamento de Transporte e Terminais Fone: (48) 3212-2100
Interurbanos via telefonista Fone: 101/102
Disque Denúncia Fone: 181
Delegacia de Proteção ao Turista Fone: (48) 3333-2103
Transporte Público Fone: (48) 3212-2100

Colunista

+ do colunista Salomão, ANeto

Nota Geral

Avalie-nos

Suas avaliações e comentários são importantes.

Nota Geral

  • 0
  • 0
  • 0
  • 0
  • 0
  • 0
  • 0
  • 0